5/29/2009

Bonecas de arrepiar

Pois então, entre idas e vindas pela internet andei pesquisando mais um pouco acerca de construção de dolls - que é um projeto pessoal que venho desenvolvendo faz algum bom tempo - e como não há muitas referências técnicas na internet nacional fui, como sempre, em busca de mais informações em outras paragens. Mesmo porque os poucos livros que tenho a respeito não suprem todas as minhas carências de informações e nem tiram todas as minhas dúvidas.
E a cada dia fico ainda mais espantado com a riqueza de abordagens que existem a partir do tema Dolls. Assim como constato o interesse que vem despertando entre criadores e colecionadores no país.

E fica aqui um pontual alô para as editoras especializadas em artesanatos:
Não está na hora de surgir uma publicação especializada em dolls no mercado nacional? Interessados no assunto, portanto mercado, e bons artistas e artesãos que podem criar interessantes tutoriais existem, com certeza.

Bem, no Brasil conhecemos as peças de pequenas proporções com temática centrada em elfos, fadas e outros seres fantásticos, assim como existem as populares miniaturas de bebês em Polymer Clay. Onde temos excelentes e criativos artistas. Da mesma forma existem os “reborn” e os action figures que tem como tema personagens de filmes de ficção científica ou baseados em personagens de games. Há também outros que empregam a chamada mixed media, isto é, unem materiais diversos como madeiras, metais, tecidos e Polymer Clay sem uma temática definida. Isto apenas para citar alguns exemplos da infinita gama de abordagens possíveis e encontráveis no país.

Mas toda esta introdução é justamente para comentar que acabei descobrindo um estilo de dolls
realmente curiosa e que tem muito mais seguidores que eu poderia imaginar ainda que seja praticamente desconhecida no Brasil. Pelo menos eu não sei de nenhum trabalho neste estilo. São bonecas(os) por alguns chamados de dark creations e por outros como strange dolls, ugly people, scary art ou mesmo morbid art e que, mal traduzindo para a língua de Fernando Pessoa definiria tudo como bonecas necrófilas, no que no final não perderia seu sentido.

Bastante populares nos EUA, talvez até pela tradição do Halloween, a abordagem parte sempre da idéia de dolls, mas com uma leitura, no mínimo, curiosa. Bonecas(os) que representam vampiros, zumbis, meninas góticas ou mesmo estranhos bebês. Isto sem esquecer os corpos dilacerados e figuras das mais bizarras que no conjunto ficariam mais adequados em um quarto da mansão da família Adams que em qualquer outro lugar.


Mas ao contrário do que se possa pensar estas criações não apenas tem uma legião de seguidores e colecionadores como também não assustam, apesar de alguns exemplos até pela minúcia de detalhes com que são criadas, inquietam e perturbam observadores mais sensíveis.
Nojentos e repugnantes ou excêntricos e curiosos, estes parecem que vieram para ficar e a cada dia angariam mais adeptos dos quais apresento alguns exemplos neste post.
Entre os artistas que se destacam neste estilo de Arte temos a norte americana D.L. Marian, com suas Dark Criations, Virginie Ropars uma criativa artista francesa, Jade Perez, Liz McGrath, entre muitos outros.

Pois então, entre vampiros, meninas góticas e figuras de algum estranho vudu sado masoquista estes artistas acabaram por me provar enquanto os conhecia que sim, existe espaço para todo tipo de artes e gostos desde que autênticos e de qualidade. Já que no final o que conta é a criatividade e capacidade de criar com originalidade. Pois o resto é marketing. E o marketing pelo marketing, nem causa espanto e também não empolga.

Sem entrar em juízos de valores se é bonito, feio, estranho ou doentio, deixo a cada um a indicação para que conheça, atrávés dos links que indico abaixo a curiosa e realmente diferente arte destes artistas.

Só aconselharia a deixar as meninas fora da sala, vai que você acaba tendo tem que dar uma destas dolls de presente para sua pequena bruxinha.:-)

http://darkcreation.com/infoevents.html
http://www.strangedolls.net/links.html


Bons arrepios e até a próxima.